domingo, 17 de outubro de 2010

ADORÁVEIS PROFESSORES


Olá,
Hoje venho comemorar o Dia dos Professores aqui no blog com um certo retardo.
Mas para quem é professor, dia do professor é todo dia!
Ando com pouca sem inspiração para escrever algo com as minhas próprias mãos para minhas queridas amigas professoras.
Quando você tem a sorte de ter somente um emprego de professora, você chega na escola, dá a sua aula e vai embora. Cria laços, cria amigos, mas dá o final do dia e você ainda é você.
Quando se tem dois empregos ou mais como professora, suas amigas professoras viram quase parentes: são elas que escutam tuas dores, sofrem com a tua TPM, vibram com o teu sucesso, dão palpites sobre tua roupa, ouvem tuas ideias (mesmo quando são malucas), te “obrigam” a compartilhar um brigadeiro...
Professoras prometem que vão tomar chope sem falar de escola. Começa bem, a conversa roda e cai na escola; aí alguém da mesa avisa: “não pode falar essa palavra”! A conversa roda de novo, vai para a novela, vai para as eleições, “e a Marina, hein?”, roda de novo e cai na escola!
Às minhas colegas professoras,
Às minhas colegas de escola,
Com quem compartilho meus dias,
minhas maluquices diárias,
minhas manias,
meus sonhos e ideais de educação,
Meus parabéns pelo dia do Professor!

Segue um texto da Nilma Lacerda, que eu acho lindo e fico torcendo para que , assim como muitas professoras que conheço, que já acharam seu estilo, seu caminho, que cada professora se encontre no melhor que há de si mesma!
A foto acima é do filme Mr Holland- Adorável Professor.

Beijos e boa leitura!
Eliete Nascimento


“Para solo e orquestra
Nilma Lacerda


Tem professor que segue o livro.
Tem professor que duvida.
Tem professor que arma conta.
Tem professor que pensa o problema.
Tem professor que aceita o caderno de caligrafia.
Tem professor que aposta na folha em branco.
Tem professor que ensina o uso da régua e esquadro.
Tem professor que prefere à mão livre.
Tem professor que gosta de flor no caderno.
Tem professor que prefere a pauta.
Tem professor com voz de trombone.
Tem professor com voz de flauta.
Tem professor que deixa entrar depois da chamada.
Tem professor que não dá presença para quem chega atrasado.
Tem professora que é meiga e o aluno aprende melhor.
Tem professor que é durão e o aluno aprende pra sempre.
Tem professor que chora de emoção quando o aluno difícil aprende a escrever o nome.
Tem professor que ri quando pega a carta de amor escondida entre as folhas do exercício.
Tem professor para quem a letra é um traço escuro na folha branca. Tem professor para quem a letra é um risco claro no espaço escuro. Tem professor que gosta do livro na escola.
Tem professor que prefere o livro na vida.
Tem professor pra quem biblioteca é o prédio mais importante de um país.
Tem professor que acha que a biblioteca é dentro de cada um: pode-se mergulhar.
A orquestra se faz de agudos e graves e a música nasce da disposição das vontades e dos talentos dos maestros.”

terça-feira, 12 de outubro de 2010

MARIO QUINTANA E DIA DA CRIANÇA



Olá,
Hoje trago um texto do Mário Quintana em homenagem ao dia da Criança.
Uma amiga, Márcia Valente, me mandou este poema por email esta semana e achei que seria pertinente postar no blog hoje, Dia da Criança!
Ás vezes me sinto assim, como alguém que era criança e de repente envelheceu.
__Socorro, “quero meus brinquedos de volta", também!

Tive uma infância permeada de muita brincadeira, que hoje tornam minhas lembranças ricas, e por isso mesmo muito mais vivas.
Por vezes me sinto como alguém que cresceu e virou gente grande (não tão graaaaande asssim)mas ainda guarda certas coisas de criança: tem dias que vivo perguntando o porque das coisas, numa curiosidade sem fim; tem dias que me pego rindo a toa; tem dias em que a brincadeira flui com a mesma facilidade que flui nas crianças; não consigo tomar sorvete sem fazer uma pequena lambança; coleciono coisas do homem-aranha e da fada sininho (isto é um pequeno segredo revelado, vou falar bem baixinho... eu adoro o homem aranha!); me sinto maravilhosamente bem assistindo filmes de aventuras; e muitas outras coisas mais, que a esta altura não sei se é criancice, ou se é caduquice.
Prefiro acreditar que é criancice e manter acesa a chama de criança que (ainda) vive.
Que viva a criança em cada um de nós!
Que possamos manter a inocencia, a alegria, a curiosidade, a arte de ser criança. Se não todos os dias, pelos menos em alguns momentos. O suficiente para que a chama não se apague.



RECORDO AINDA

Recordo ainda... e nada mais me importa...
Aqueles dias de uma luz tão mansa
Que me deixavam sempre, de lembrança,
Algum brinquedo novo à minha porta...

Mas veio um vento de Desesperança
Soprando cinzas pela noite morta!
E eu pendurei na galharia torta
Todos os meus brinquedos de criança...

Estrada afora após segui... Mas, aí,
Embora idade e senso eu aparente
Não vos iludais o velho que aqui vai:

Eu quero os meus brinquedos novamente!
Sou um pobre menino... acreditai!...
Que envelheceu, um dia, de repente!...

Mario Quintana

domingo, 3 de outubro de 2010

VIAJANDO COM O GOOGLE EARTH


Cada dia me encanto mais com diversos lugares do mundo. Como (ainda) não posso ir a todos os lugares que desejo, utilizo o Google Earth para “navegr” por alguns lugares do mundo que estão pertinho, na minha tela, mas ainda distantes do bolso. A Revista Veja desta semana traz, inclusive, uma matéria sobre o Google Earth abordando a cobertura que eles estão fazendo no Brasil para o “street view” (um recurso que permite passear nas ruas das principais cidades do mundo, quarteirão por quarteirão).
Fico pensando nas possibilidades do Google Earth numa aula de geografia por exemplo, mas pelo que sei o programa ainda é sub-utilizado pelas escolas.
Fico impressionada pela beleza natural deste planeta em que vivemos. Mesmo com a degradação que lhe impõe o bicho homem, alguns lugares são de uma magnitude ímpar.
Tem lugares estranhamente bonitos. Lugares em que a natureza é soberana, em que a estranheza gera boniteza. Um monte de pedras que adquiri formas quase conscientes. Paisagens que parecem saídas de poemas. Lugares que parecem criados por mãos divinas. Árvores que parecem que vão conversar conosco a qualquer momento. Animais que parecem humanos...
Quando vi o filme UP e principalmente depois de assistir ao making off do mesmo, fiquei fascinada pelo Monte Roraima. Já conhecia suas histórias, algumas lendas, mas a beleza do lugar é algo fascinante.
Fotos de lugares que achei por aí...
Beijos e boa viagem!
Eliete Nascimento