sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

MENSAGEM DE FINAL DE ANO




Para este mês de dezembro cheio de mudanças na minha vida,  buscava um texto que inspirasse, que fosse realmente bonito, que tocasse o coração... até que abri meus emails e me deparei com este texto enviado por uma amiga. Caiu como uma luva na minha página de abundante de falta de inspiração. 
Um grande abraço e FELIZ NATAL!


"PALCO DA VIDA

Fernando Pessoa


Você pode ter defeitos, 
viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo.
E você pode evitar que ela vá a falência.

Há muitas pessoas que  precisam,
te admiram e torcem por você.

Gostaria que você sempre se lembrasse
de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade,
caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas,
relacionamentos sem desilusões.

Ser feliz é encontrar  força no perdão,
esperança nas batalhas,
segurança no palco do medo,
amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso,
mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso,
mas aprender  lições nos fracassos.

Não é apenas ter júbilo nos aplausos,
mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena
viver, apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos  problemas
e se tornar um autor da  própria história.

É atravessar desertos fora de si,
mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples ,
que mora dentro de cada um de nós.

É ter maturidade para falar "eu errei".
É ter ousadia para dizer "me perdoe".
É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de você".
É ter capacidade de dizer "eu te amo".
É ter humildade da receptividade.

Desejo que a vida se torne um canteiro
de oportunidades para você ser feliz...
E, quando você errar o caminho, recomece,
pois assim você descobrirá que ser feliz
não é ter uma vida perfeita, mas usar
as lágrimas para irrigar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas  da inteligência.


Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz,
pois a vida é um obstáculo imperdível,
ainda que se apresentem dezenas de fatores
a demonstrarem o contrário.
Pedras no caminho?
Guardo todas...
Um dia vou construir um castelo! "


NATAL significa nascimento, reencontro, desejos, desculpas, agradecimento ...

Agradeço... a amizade, o carinho, a parceria, a paciência, a solidariedade...

Peço desculpas pelos momentos que não tiverem sido bons!

Desejo que você SEJA FELIZ!!!!!

E que em 2012, novos sonhos possam ser sonhados e realizados!

Feliz NATAL!!!

Com muito carinho,

Eliete Nascimento.

-

















__._,_.___





quinta-feira, 24 de novembro de 2011

DEFINIÇÕES INTERESSANTES



Olá,
Achei há um tempo atrás umas definições interessantes pela rede, mas não guardei o endereço do site.
Seguem as definições, que eu achei bem engraçadinhas...
Beijos e boa leitura!
Eliete Nascimento.


ALEGRIA é um bloco de carnaval que não liga se não é fevereiro.

DESCULPA é uma frase que pretende ser um beijo.

FELICIDADE é um agora que não tem pressa nenhuma

SENTIMENTO é quando o coração manda um recado.

SUCESSO é quando você faz o que sempre fez só que todo mundo percebe.

AMIZADE é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

PREOCUPAÇÃO é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento

LEMBRANÇA é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.

CERTEZA é quando a idéia cansa de procurar e pára.

PERDÃO é quando o Natal acontece em outra época do ano.

SOLIDÃO é uma ilha com saudade de barco.

SAUDADE é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

AUTORIZAÇÃO é quando a coisa é tão importante que só dizer “eu deixo” é pouco.

POUCO é menos da metade.

MUITO é quando os dedos da mão não são suficientes.

DESESPERO são dez milhões de fogareiros acesos dentro de sua cabeça.

ANGÚSTIA é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

INDECISÃO é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

INTUIÇÃO é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

PRESSENTIMENTO é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

VAIDADE é um espelho onisciente, onipotente e onipresente.

VERGONHA é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

ORGULHO é uma guarita entre você e o da frente.

ANSIEDADE é quando sempre faltam 5 minutos para o que quer que seja.

INTERESSE é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

RAIVA é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

TRISTEZA é uma mão gigante que aperta seu coração.

DECEPÇÃO é quando você risca em algo ou em alguém um xis vermelho.

DESILUSÃO é quando anoitece em você contra a vontade do dia.

CULPA é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia.

EXCITAÇÃO é quando os beijos estão desatinados pra sair de sua boca depressa.

LUCIDEZ é um acesso de loucura ao contrário.

RAZÃO é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.

EMOÇÃO é um tango que ainda não foi feito.

VONTADE é um desejo que cisma que você é a casa dele.







domingo, 13 de novembro de 2011

EDUCAÇÃO E LIMITES

Olá,
hoje trago um texto de Armando Correia de Siqueira Neto, sobre limites ou a ausência deles na educação dos filhos. A foto da página´foi capa de uma Revista Veja com materia sobre o assunto.
Quem quiser ler outros artigos do mesmo autor pode consultar os sites:
http://www.webartigos.com/
http://www.gestaodecarreira.com.br/
http://www.consultores.com.br/
http://www.psicologia.org.br/

Beijos e boa leitura!
 
 
EDUCAÇÃO SEM  LIMITES
por Armando Correa de Siqueira Neto*
A coisa mais difícil que existe nesta vida é educar um ser humano, pois que demanda a nossa atenção por um tempo, que deixamos de perceber porque até o último momento podemos receber educação.
Alguns fatores apontam as causas da falta de limites na educação das crianças de um modo geral, destacando os valores morais que sumiram do nosso cenário, haja vista o enorme número de casos de corrupção ininterrupta; na política, empresas, igrejas, etc, apresentados na mídia, onde, dificilmente a lei consegue ser cumprida, ademais, instaurou-se na cultura a idéia de que ser esperto é a grande jogada, o contrário; uma tremenda burrice, então, por qual razão seguir regras?
Outro ponto importante vem a ser a ausência dos pais na vida da criança, em virtude da carga horária dedicada ao trabalho, deixando a convivência educacional aos cuidados da escola, desde os primeiros momentos, nas creches e nas instituições educacionais, do governo ou particulares. Esta necessidade familiar gerou um sentimento de culpa nos pais, que, para compensar tais circunstâncias, acabam sendo permissivos em demasia com os seus filhos, impedindo, por conseguinte, momentos de se educar e proporcionar os valores que devem ser seguidos; derivados dos próprios valores existentes nos pais e na constituição da personalidade da criança. Contudo, abre-se nova polêmica neste rastro de educação sem limites, ao lembrarmos que muitos pais com filhos hoje adolescentes e outros adultos vêm de uma geração na qual pregou por muitos anos a idéia de que a liberdade total era a melhor saída, contrapondo à idéia de repressão sócio-histórica vivida por eles em sua juventude, o que acarretou em juízo de valores distorcido, vindo de um radicalismo social para outro, sem fazer "escola" desta forma de se educar. Não houve ponderação e conseqüentemente faltou um plano mediano que fosse sendo ajustado à medida que as demandas surgissem. Simplesmente foi-se estabelecendo este modelo de educação até o momento em que se evidenciaram os desastrosos resultados.
Outra condição a ser pensada é o exagero que os pais têm com relação aos traumas que poderão causar, caso venham a ser mais enérgicos na educação dos seus filhos. Usar o bom senso e algumas regras para estabelecer limites na educação infantil não arranca pedaço de ninguém. Faz-se necessária a consciência de que para educar é preciso esforço, dedicação, perseverança e paciência; muita paciência.
Nas escolas a relação entre o aluno e o professor chegou a uma condição muito favorável, quando entendemos que a participação do aluno está maior, diferentemente de outras épocas onde o papel se restringia apenas a ouvir e guardar as informações que chegavam.
A criança de hoje está mais bem estimulada e responde com maior agilidade ao meio, o que lhe confere a boa posição de ser participante nos grupos sociais; casa e escola especialmente. Todavia, dada a falta de condução por conta da educação sem limites, a criança acaba se tornando um canhão sem direção, que atira para vários lados ao acaso a acerta em quem estiver na trajetória, e a si mesma invariavelmente.
O exercício do viver só é realizável vivendo, na prática, e o mesmo ocorre com a educação, portando, é preciso arregaçar as mangas e assumir o papel de orientador, de guia, de educador. Começar, antes tarde do que nunca a se envolver neste processo importante e determinador da vida do ser humano, cavando tempo e espaço para esta empreitada. Sempre que desejamos muito alguma coisa damos um jeito no tempo e espaço para alcançá-la. O que nos impede de lutar por esta causa mais do que nobre? Qual medo existe em tentar educar os próprios filhos?
Como em qualquer situação da vida, haverá tropeços, que darão lugar ao adequado proceder conforme a prática e a persistência desta convivência. Os rumos poderão ser diferentes, e certamente o serão. Outros benefícios virão naturalmente, como um maior sentimento de amor próprio, e em muitos casos, a unidade familiar. Mas é preciso começar, tentar, fazendo acontecer. Confie em si mesmo e mude o cenário, assumindo as responsabilidades e transmitindo muitos valores aos seus filhos, por via de uma educação que dá segurança e conforto, pois todos nós sempre desejamos isto.
* Armando Correa de Siqueira Neto é psicólogo e psicoterapeuta.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

TEMPOS DE INFÂNCIA

Hoje trago texto sobre meu tempo de criança. Às vezes  bate uma saudade, mas nem de tudo  dá para sentir saudade. A infância de hoje tem muito mais recursos, os brinquedos são fantásticos, sinal dos tempos que mudaram. E para sorte das crianças, mudaram para melhor, na minha opinião.
Brincadeiras de POLÍCIA E LADRÃO, ESCRITÓRIO, PIQUE BANDEIRA, BOLA DE GUDE... ah... essa parte até que eu sinto  saudade! Eu sempre fui muito magrela, ágil e  me dava bem nestas brincadeiras, mas quando a brincadeira era um jogo chamado de QUEIMADA, eu estava fora, sempre perdia!

Na década de 70 a programação da TV era um fiasco! As crianças de hoje são criaturinhas de muita sorte e não sabem! A minha geração  assistia  os  programas repetidos porque afinal,  só tinha aqueles! De vez em quando sinto saudades de algum desses desenhos  e assisto no you tube (graças a Deus existe a internet!), mas só os desenhos que eu gostava: MANDA CHUVA (um bando de malandros), OS HERCULÓIDES  (bem politicamente corretos para a época),  SHAZAM (idem) e a CORRIDA MALUCA (absoluta e politicamente incorreto).  Além desses acima ainda tinha  O ZÉ COLMEIA (um urso ladrão), NACIONAL KID (uns monstros japoneses que hoje dão até vontade de rir!), CAPITÃO ASA (uma espécie de  Xuxa da década de 70), BANANA SPLIT (uns bonecos muito estranhos, mas eu até que gostava de algumas músicas...hehehe), os THUNDERBIRDS (idem) enfim, a variedade não era muita.
Acho que a TV brasileira comprava poucos episódios, então REPETIA, REPETIA, REPETIA...
Outro dia estava assistindo televisão e parei estatelada num canal:  pasmei! estava passando um desenho chamado  Os apuros de Penelope, com a mesma plástica (ou falta de plástica) da década de 70, em plena era da animação digital! Ninguém merece!

Alguns saudosistas acham que antigamente era melhor... era nada!

Ainda bem  que hoje temos games, equipamentos de ultima geração, interatividade, conectividade, tempo real! É tanta coisa legal, que de vez em quando a  gente volta a ser criança. Se nos tempos de criança a gente jogava jogos de tabuleiro como WAR  ou BANCO IMOBILIÁRIO com a familia reunida, agora é a vez do AGE OF EMPIRE, PIRATAS DO CARIBE, ZUMA, LEGEND OF ELDORADO (para citar os que gosto).

Se você tem possibilidade de colocar jogos em rede, joga a família toda. E claro, nessa hora a gente vira criança outra vez, as vezes até esquece da vida...

Outro dia acompanhei minha filha até o consultório dentário, ela não é mais criança, mas como ia fazer um procedimento demorado  fui dar um apoio moral. Enquanto ela era atendida eu, na sala de espera, jogava no celular dela que é de última geração, claro! Consegui passar várias fases do jogo e  fiquei tão distraída que não ouvi quando o dentista chamou.  A minha filha falou para o dentista:  "quando ela joga no meu celular, fica assim, parece que foi abduzida!". O dentista (que lá no fundo também deve ficar em estado de "abdução" quando joga )  respondeu, rindo    "meu Deus, que monstro você criou!" .


FELIZ DIA DAS CRIANÇAS PARA AS CRIANÇAS  DE TODAS AS IDADES!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

MELHOR QUE CHOCOLATE?!





Olá,
hoje, após um tempo sem postar, resolvi rever  alguns livros. O texto de hoje está no livro "MELHOR QUE CHOCOLATE - 50 MANEIRAS COMPROVADAS DE SER MAIS FELIZ", de Siimon Reynolds, com ilustrações de Jenny Kostecki e tradução de Maria José de Abreu Pinheiro, publicado pela Editora Carpe Diem, página 95.

A capa do livro faz pensar na pergunta: "o que pode ser melhor que chocolate?", principalmente para aquelas pessoas que amam chocolate mais do que tudo na vida, que não é o meu caso, mas como convivo com vários chocólatras, já ouvi muitas vezes esta pergunta quando mostro este livro.

A gravura do chocolate  foi retirada de um blog interessante sobre bem estar e que fala sobre os benefícios do chocolate. Se quiser  mais informações sobre o assunto segue o endereço do  mesmo:

E aí, vai ficar só no chocolate ou vai experimentar outras as coisas boas da  vida? 




DEMONSTRE SEU AMOR
Ao dizer a alguém o quanto você o ama, em geral isso lhe fará sentir-se incrivelmente bem. "Ouvir alguém dizer que me ama" foi uma das frases campeãs numa pesquisa realizada há pouco tempo sobre coisas que as pessoas gostam de ouvir. Todavia, e isso é interessante, ela também funciona no sentido inverso. Pesquisas sobre o bem-estar das pessoas mostraram que, ao expressarmos nosso amor por alguém, da mesma forma isso nos faz sentir bem. E, além do mais, este sentimento tende a permanecer com a gente durante todo dia.

Na pressa e no alvoroço de nossas vidas cotidiana, é fácil esquecer de demonstrar nosso amor  àquelas pessoas que apreciamos. Pergunte a si mesmo: "Quais são as cinco pessoas no mundo de quem eu mais gosto, e quando foi a última vez que eu parei para expressar esse sentimento a elas?"

sábado, 20 de agosto de 2011

PREVENÇÃO CONTRA ASSALTOS





Olá,
hoje trago um texto de Millôr Fernandes de 1978 e atual como nunca. Em tempos de segurança digamos, complicada no Rio de Janeiro, vale a pena reler e se deliciar com o humor refinado do Millôr. O texto completo e outras obras de Millôr Fernandes, assim como outros autores nacionais pode ser encontrado num site que A-DO-RO, que e o www.releituras.com. A imagem é do site http://pt.dreamstime.com  
Beijos e boa leitura!
Eliete  Nascimento



 
Prevenção contra assaltos

MILLÔR FERNANDES
Como os assaltos crescem dia-a-dia, não podendo contê-los, a PM, sabiamente, dá conselhos aos cidadãos para serem menos assaltados:
1) Não demonstre que carrega muito dinheiro.

2) Jamais deixe objetos à vista, dentro do carro.

3) Levante todos os vidros, mesmo em movimento.

4) Não deixe documentos no veículo.

5) Na volta, ao se aproximar do carro, verifique se não há alguém suspeito por perto.

6) Não leve objetos de valor nem muito dinheiro para a praia.

7) Se, ao ir à praia, for de carro, coloque o veículo num ponto em que fique ao alcance de sua vista.

8) À noite, em locais escuros, use faróis altos.

9) Não dirija com o braço fora do carro.

10) Ao chegar em casa e antes de descer para abrir o portão, ou esperar por isso, verifique se não há pessoas suspeitas por perto.

11) À noite não se deixe aproximar por veículos com mais de dois homens.

12) Se assaltado, fique calmo. Não faça movimentos bruscos e evite encarar os assaltantes. Não discuta nem reaja.

13) Evite aglomerações. Nos locais em que todos se acotovelam os punguistas agem.

Depois de ler com extrema atenção estas instruções oficiais, acrescento as minhas, ou melhor, resumo:
1) Não saia de casa.


2) Se possível, não saia do quarto.

3) De preferência, não saia do cofre.


Texto extraído do livro "Que país é este?", Editorial Nórdica Ltda. — Rio de Janeiro, 1978, pág.113.

Tudo sobre 
Millôr Fernandes e sua obra em "Biografias".

domingo, 7 de agosto de 2011

RUA DO LAVRADIO

Olá,
Ontem, eu e minha família resolvemos passear pela Rua do Lavradio, onde todo primeiro sábado do mês ocorre uma Feira de Antiguidades chamada de Feira do Rio Antigo e ao terceiro sábado de cada  mês acontece um evento que reúne antiguidade e gastronomia. Em plena temporada Rio Gastronomia, valeu a pena unir as duas coisas.
Lá fiquei sabendo que o evento Rio Gastronomia vai escolher " a melhor feijoada de escola de samba do Rio". Para os frequentadores de quadras de escolas de samba, uma  boa pedida.
Eu fiquei com a feijoada do Santo Scenarium mesmo (Rua do Lavradio 36) que não é de escola de samba, mas é  divina!  A cerveja geladíssima, caipirinha bem feita!
Acho que os santos na parede dão conta do recado! Amei!
A Rua do Lavradio carrega em sua história a proeza de ter sido reduto artístico, cultural e boêmio do Rio Antigo, através do Marques do Lavradio, que legou seu nome à rua.  Na falta de entretenimento na colônia, nobres e artistas se reuniam nesta rua para incrementar a vida social. A história completa da Rua do Lavradio pode ser lida no livro História das Ruas do Rio, pela Lacerda Editores, de Brasil Gerson e remodelada por Alexei Bueno. A  indicação do livro vale para conhecer a história de  muitas  outras ruas do Rio, pois a edição é bem completa. Estou com esse livro emprestado de uma amiga e  professora que trabalha comigo, Liane, que é capixaba apaixonada pelo Rio. Valeu, Liane!
Aula de história à parte, a Rua do Lavradio hoje tem uma vida própria.
História e lendas. Antiguidades e cacarecos. Arte e artesanato.
Gente. Alegria. Movimento. Turistas e gente da terra. Muita energia boa.
Tudo se reúne na Rua do Lavradio, que começa ali pertinho da Praça Tiradentes e termina na Rua do Riachuelo. O estilo da rua, com sobrados do Rio Antigo, alguns quase (literalmente) caindo, outros bem reformados são um charme á parte.
Para beliscar, beber uma caipirinha, uma cerveja nacional ou importada, variados bares e restaurantes. Já experimentamos os bares da Rua do Lavradio fora deste dia de feira e o movimento é grande mesmo à noite. Para sair, ver gente, jogar conversa fora numa mesa de bar, falar mal da  política, abraçar seu amor, (seja quem for), fazer planos, passar o tempo, conhecer gente nova, ouvir outros idiomas.
Vale a pena!
Dica carioquíssima!
Beijos,
Eliete Nascimento

quinta-feira, 14 de julho de 2011

RAZÕES PARA GOSTAR DO BRASIL


Olá,
Hoje, depois de alguma ausência, resolvi escrever sobre este país, a nossa "Pátria Amada, Mãe Gentil" nosso Brasil. Os tempos e as manchetes dos jornais continuam os mesmos de sempre: escândalo político, uma ou outra aberração no Congresso Nacional, principalmente em período pós eleição,  sai ministro, entra ministro, bomba  no Rio de Janeiro (aqui pertinho de casa), acidente aereo, bebê sequestrado em maternidade, enfim, tem que garimpar para achar uma boa notícia! Mas, apesar disso tudo, ainda encontramos razões para gostar do Brasil. Muitas razões! Tantas razões que o jornalista e escritor Marcelo Camacho listou algumas no livro chamado "1001 RAZÕES PARA GOSTAR DO BRASIL", da editora Sextante, RJ, 2003. Eu li, gostei e concordo com a maioria. Transcrevo aqui algumas, sem a numeração que o autor coloca no livro. Pense nas razõs para gostar  do Brasil e faça sua lista você também!
Beijos e boa leitura!
Eliete Nascimento

"1001 RAZÕES PARA GOSTAR DO BRASIL...
(POR MARCELO CAMACHO)

Sombra de amendoeira
Feijão com arroz. Se o acompanhamento for bife com batata frita, melhor ainda.
A elegância do samba de Paulinho da Viola.
Os vinhedos de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul.
Colcha de fuxico.
O mico leão dourado.
Fogão a lenha.
O bicho preguiça.
Cuscuz. Com pedaços de coco por cima e muito leite condensado.
A cachaça.
A diplomacia brasileira. Somos da paz.
Paulo Freire. O maior educador brasileiro.
A marchinha de carnaval Cidade Maravilhosa.
Açai. No copo. Na tigela. Com granola.
As rosas não falam, de Cartola.
Farofa de ovo, de banana, de alho... farofa!
Duelo de repentistas.
Por do sol em Ipanema.
A poesia de Mária Quintana.
Leitão à pururuca.
Pelé. O milésimo gol de Pelé.
A literatura infanto juvenil de Ana maria Machado, Lygia Bojunga, Ruth Rocha...
A arquitetura de Brasília.
O calçadão de Copacabana.
Consultar uma palavra no Aurélio (agora substituído pela web...)
Conhecer pelo menos um garçom pelo nome.
O carnaval carioca.
Caipirinha. Limão amassado, gelo, açúcar e cachaça. Tem a cara do Brasil.
Queijo de minas (com doce de leite, minha combinação favorita!)
Sonho de padaria.
Fazer figa.
Beiju.
Fitinhas do Senhor do Bonfim.
Média com pão e manteiga.
Os olhos do Chico Buarque.
Machado de Assis.
Bossa Nova.
Pamonha.
O bom humor do brasileiro."

Enfim, são MUITAS  razões... liste as suas!

sábado, 18 de junho de 2011

NEM SEMPRE O CAFÉ ESTÁ AMARGO


Olá,
Hoje trago um texto cuja autoria desconheço, mas acho muito bom para ler e reler.
Faz pensar sobre os altos e baixos da vida. Foi achado em http://malarranha.net/2008/01/16/pra-comecar-bem-a-semana/
Boa leitura!
Eliete Nascimento.


“Algumas vezes o café tá amargo.

Então, depois da careta,

olhamos o fundo da xícara.

Era o açúcar… Estava lá,

Bem no fundo.

É preciso mexer.

Assim é nossa vida…

Quando sentimos um gosto amargo

é preciso observar,

ir bem fundo,

mexer com o que tá parado.

Às vezes falta coragem e ficamos

apenas fazendo caretas.

Mexa as coisas boas que há dentro de você.

Torne a tua vida tão deliciosa

quanto as melhores delícias que já provou”.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Olá,
Hoje volto com textos de  diversos autores e trago um trecho do texto "A lógica e o sentido da formação: heterotopias, acontecimentos e sujeitos " de Carmem Lúcia Vidal Perez, pesquisadora e doutora em educação. Este texto pode ser usado em reuniões e também para estimular a reflexão de professores e educadores sobre o desempenho da profissão. Quando li o artigo, que é baseado num excelente trabalho de pesquisa, lembrei o turbilhão de acontecimentos cotidianos que nós professores, passamos todos os dias.  Não há como ser professora sem a dimensão humana, a diversidade, a capacidade de resolver pequenos (e grandes) conflitos e lidar com a capacidade de fazer as escolhas curriculares que melhor atendam a necessidade educativa do curriculo e ao mesmo tempo o interesse das crianças. O texto completo pode ser acessado em http://www.scielo.br/pdf/rdpsi/v19n1/10.pdf 
Beijos e boa leitura!
Eliete  Nascimento

(...)
"A atividade docente é uma atividade comunicativa que possibilita à professora apreender, pelo convívio com a pluralidade, os diferentes modos de organização da realidade que circulam no cotidiano da sala de aula – mesmo que ela disso não tenha consciência, mesmo que ela faça sem saber que o faz.


A profissão docente exige uma postura radicalmente diferente daquela postulada pela racionalidade técnica. Ser professora é estar aberta ao novo, ao indeterminado presente no cotidiano da sala de aula. Toda professora se defronta em seu dia-a-dia com situações únicas, inusitadas, conflitivas, com as quais não foi preparada para lidar, o que lhe exige um exercício permanente da intuição, da imaginação e da expressão de sua criatividade.

A prática docente é um objeto impreciso, que demanda formas variadas de ação e comporta possibilidades, incertezas e resultados nem sempre previsíveis. Ser professora é transitar no movediço, no deslizante, no sempre imponderável território cotidiano."
(...)

domingo, 30 de janeiro de 2011

VERÃO NO RIO


Olá,
Hoje traga um texto sobre o calor no Rio. Como carioca que sou, gosto muito da estação e hoje resolvi escrever sobre o verão e sobre o outono, que logo, logo, chega. A foto foi retirada do portal da Prefeitura do Rio em http://www.rio.rj.gov.br/ . O texto é de minha autoria.
Beijos, boa leitura e bom verão!
Eliete Nascimento

Mais um dia de sol e calor no Rio de Janeiro. Como a maior parte dos cariocas, adoro acordar e ver o céu azul. Parece que flui uma energia positiva nos dia de sol. Como não estou de férias, vou à escola todo dia. E chego lá de bom humor, com um astral bom e por incrivel que pareça, cheia de ideias. Talvez depois de quarenta e seis anos de Cidade Maravilhosa o corpo já tenha adquirido o jeito carioca de lidar com o calor: vários banhos, suco gelado, água de coco, piscina fria, ar condicionado, ventilador, sorvete, muita água e principalmente uma dose generosa de bom humor!

O Rio é uma cidade que lança moda no verão. É a cidade onde tudo acontece, que tem um evento diferente a cada esquina, a cada dia. É viva, alegre, convidativa. A rua, os bares, os restaurantes, a praia, a piscina, o bate papo, os amigos, as calçadas e calçadões... Tudo convida a viver plenamente o verão na cidade. O verão é a estação do lado de fora, do exterior, da extroversão, é a estação do dia. E também da noite.

Conheço gente que se irrita com o calor do Rio. Eu não! O calor me liberta. O frio me reprime, me recolhe. O calor me faz sair da casca. Pouca roupa, não precisa maquiagem, pouco sapato.
Somos mais nós mesmos no verão, mais cara limpa.

Confesso que também gosto muito do outono no Rio. Principalmente para caminhadas na Lagoa. Quando o outono nos brinda com temperaturas agradaveis dá para fazer aquilo que eu e meu marido chamamos de “farofa fina”: levamos uma meia garrafa de vinho branco, taças descartáveis, algumas nozes, castanhas e frutas secas, abrimos uma canga e nos deliciamos com o clima ameno, com a paisagem e com nossos petiscos. Tem uma música de Luis Melodia que diz assim “ há um lugar para ser feliz/ além de abril em Paris/ outono, outono/ no Rio...”.

Então ficamos por aqui. Curtindo o verão com toda a energia que emana desta estação e aguardando o outono com suas amenidades...
(Eliete  Nascimento, RJ, 30 jan 2011)