terça-feira, 10 de maio de 2011

Olá,
Hoje volto com textos de  diversos autores e trago um trecho do texto "A lógica e o sentido da formação: heterotopias, acontecimentos e sujeitos " de Carmem Lúcia Vidal Perez, pesquisadora e doutora em educação. Este texto pode ser usado em reuniões e também para estimular a reflexão de professores e educadores sobre o desempenho da profissão. Quando li o artigo, que é baseado num excelente trabalho de pesquisa, lembrei o turbilhão de acontecimentos cotidianos que nós professores, passamos todos os dias.  Não há como ser professora sem a dimensão humana, a diversidade, a capacidade de resolver pequenos (e grandes) conflitos e lidar com a capacidade de fazer as escolhas curriculares que melhor atendam a necessidade educativa do curriculo e ao mesmo tempo o interesse das crianças. O texto completo pode ser acessado em http://www.scielo.br/pdf/rdpsi/v19n1/10.pdf 
Beijos e boa leitura!
Eliete  Nascimento

(...)
"A atividade docente é uma atividade comunicativa que possibilita à professora apreender, pelo convívio com a pluralidade, os diferentes modos de organização da realidade que circulam no cotidiano da sala de aula – mesmo que ela disso não tenha consciência, mesmo que ela faça sem saber que o faz.


A profissão docente exige uma postura radicalmente diferente daquela postulada pela racionalidade técnica. Ser professora é estar aberta ao novo, ao indeterminado presente no cotidiano da sala de aula. Toda professora se defronta em seu dia-a-dia com situações únicas, inusitadas, conflitivas, com as quais não foi preparada para lidar, o que lhe exige um exercício permanente da intuição, da imaginação e da expressão de sua criatividade.

A prática docente é um objeto impreciso, que demanda formas variadas de ação e comporta possibilidades, incertezas e resultados nem sempre previsíveis. Ser professora é transitar no movediço, no deslizante, no sempre imponderável território cotidiano."
(...)