sábado, 11 de fevereiro de 2012

DESAFIOS DIÁRIOS




Pensei em colocar nesta postagem o título de "jardineiras fiéis", mas já escrevi uma postagem com este título, baseado no filme "Jardineiro Fiel" , que acho muito bom. É que minha situação atual me coloca numa posição muito parecida com a do jardineiro, do agricultor, do plantador.


Confesso que sou uma pessoa chegada a alguns desafios. Às vezes me saio bem, outras nem tanto. Atualmente assumimos (por vontade própria), eu e outra professora amiga, o desafio de dirigir uma creche.

Aí, estamos descobrindo, dentro deste grande desafio, novos pequeninos desafios a cada dia.

São muitos e de natureza variada.

Alguns não podem ser superados imediatamente, serão resolvidos aos poucos, no tempo, não sei se certo, mas no possível, visto que algumas tramitações legais e burocráticas demoram a acontecer.

Não se trata aqui de "concepção de educação que vê a criança como uma sementinha que precisa ser regada para crescer." Quem conhece o meu trabalho sabe que não compartilho desta concepção. Na busca por uma analogia optei por esta, que achei perfeita.

Nosso trabalho está muito parecido com o de um jardineiro, ou o de um pequeno agricultor que tem um pedaço de terra para cultivar: em alguns pontos, estamos conhecendo a terra, afofando, adubando; em outros pontos estamos plantando sementes; em outros, vendo a vegetação que já está plantada e crescida e cuidando para que se mantenha viva, regando, podando, tirando folhinhas danificadas; em outros pontos estamos estudando que outro tipo de plantas podemos semear aí, que árvores frutíferas podem crescer neste chão...

Estamos convocando outros parceiros para este plantio, para esta empreitada.

Alguns que já estavam lá estão (re) construindo junto conosco, plantando novas sementes neste pedaço de terra, este espaço coletivo cujo desafio de dirigir nos move; outros, velhos companheiros de outras terras já cultivadas com sucesso, nos acompanham e ajudam, mesmo de longe.

Metemos a mão na terra, agora é trabalhar e acompanhar o crescimento desse trabalho.

Quem sabe a delicadeza das flores poderá compensar...